Conhecendo o VMware Cloud Foundation

Conhecendo o VMware Cloud Foundation

Segundo a VMware, o VMware Cloud Foundation (VCF) utiliza o conceito de data center definido por software para fornecer uma stack integrada que reúne virtualização de computação (vSphere), virtualização de armazenamento (vSAN), virtualização de rede (NSX), gerenciamento e monitoramento (vRealize Suite) em uma única plataforma. Esta stack pode ser implantada localmente onde o cliente é responsável por gerenciar a infraestrutura física e as cargas de trabalho da máquinas virtuais ou também pode executar como serviço na nuvem pública, onde o provedor de nuvem gerencia a infraestrutura e a responsabilidade do cliente é gerenciar as cargas de trabalho das máquinas virtuais.

Em outras palavras, pensando em uma implementação local, você apenas prepara os hosts físicos com o VMware ESXi e o VCF faz o resto, ou seja, cria um ambiente contendo vSphere, vSAN e NSX de forma automatizada, simplificada e integrada. Além da possibilidade de integração com o vRealize Suite e Horizon.

Fonte: VMware

Workload Domains

O Cloud Foundation introduziu uma nova abstração conhecida como workload domains, que consiste em um ou mais clusters vSphere provisionados automaticamente pelo SDDC Manager. Os workload domains são conjuntos de recursos com políticas específicas configuradas para desempenho, disponibilidade e segurança. Existem dois tipos de workload domains: management domain e compute domain, onde o último é categorizado como VI workload domain para Virtual Infrastructure e VDI workload domain para Virtual Desktop Infrastructure. A lógica é bem simples, basicamente temos um ambiente de gerenciamento e outro ambiente para rodar a carga de trabalho do cliente.

Arquiteturas

Basedo nos workloads domains, existem duas arquiteturas suportadas pelo VCF: Standard e Consolidated. Na arquitetura standard, o management workload e o VI domain possuem workload domains dedicados, ou seja, cada workload domain é gerenciado por uma instância separada do vCenter que oferece escalabilidade, licenciamento autônomo e gerenciamento do ciclo de vida.

Fonte: VMware

Já a arquitetura consolidada é geralmente utilizada para casos de uso específicos e/ou ambiente de POC. Neste modelo, o management domain e o VI domain compartilham o mesmo workload domain. O ambiente é gerenciado a partir de um único vCenter e por padrão são criados resource pools no vSphere para separar os diferentes tipos de cargas de trabalho. É importante resaltar que a arquitetura consolidada não oferece suporte ao NSX-T ou a implantação automatizada do Horizon e Enterprise PKS. É possível fazer o deploy utilizando a arquitetura consolidada e depois migrar para a Standard.

Fonte: VMware

Para mim, a verdadeira magia do VCF é o SDDC Manager, pois com ele é possível realmente transformar os ambientes vSphere (que já conhecemos e confiamos há muitos anos) em uma verdadeira experiência de nuvem, além de oferecer uma interface centralizada e gerenciar o ciclo de vida, facilitando assim a implementação e atualização das soluções.

É isso aí pessoal, esse foi um resumo sobre o VCF. Espero conseguir escrever mais sobre isso em breve. Abraço e até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.